Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

Localizada no interior de São Paulo, na cidade de Matão, a ETE – Estação de Tratamento de Esgoto coloca a região entre as principais do Brasil que se preocupam com a Preservação do Meio Ambiente. A Concessionária CMS – COMPANHIA MATONENSE DE SANEAMENTO, foi fundada em 22 de novembro de 2002, data em que foi assinado o contrato de concessão; investiu mais de 18 milhões de reais na construção de uma das mais modernas estações de tratamento do Brasil.

Pertence a um grupo de minoria de ETE’s brasileiras a contemplar uma concepção combinando processos biológicos: anaeróbios e aeróbios - uma das tecnologias mais modernas dentre as atualmente disponíveis. O processo proporciona tratar 100% do volume de esgoto gerado na cidade, numa área de apenas 25 mil metros quadrados, podendo atender uma população de até 106 mil habitantes, correspondente a uma vazão média de 250 litros por segundo, com mais de 95% de eficiência na remoção de matéria poluidora.

O bom desempenho da ETE é garantido pelo seu sistema totalmente automatizado onde técnicos especializados monitoram 24 horas por dia o funcionamento de todos os equipamentos que compõem o processo de depuração da matéria orgânica presente no esgoto. Este monitoramento viabiliza alterações no processo mediante análise criteriosa pelo corpo técnico (químicos e biólogos) da empresa, dos resultados físico-químicos e biológicos obtidos em laboratório próprio, abrangendo todas as etapas do processo de depuração do esgoto sanitário recebido. Além disso, a CMS conta com o apoio de laboratórios externos, especializados e credenciados que, juntamente com as análises internas, garantem o atendimento aos requisitos da concessão e aos requisitos legais tais como CETESB e Ministério da Agricultura.

Em 2011, a CETESB instalou uma base móvel de monitoramento com a finalidade de atestar a qualidade do sistema de tratamento de esgotos da ETE e a sua importância para o Rio São Lourenço, receptor do efluente tratado. Os resultados das amostras coletadas durante 24 horas de monitoramento, abrangendo todo o processo e o corpo receptor, para o órgão responsável, se mostraram plenamente satisfatórios, comprovando a eficiência da tecnologia instalada, a seriedade aos serviços prestados pela CMS e seu compromisso com o meio ambiente e consequentemente o cumprimento integral das regulamentações e requisitos legais.

Em 2013, a CMS, lançando mão de mais uma tecnologia de ponta, adquiriu um Sistema de Tratamento de Tratamento Preliminar Compacto - UPC - garantindo a qualidade do composto orgânico produzido usado como fertilizante agrícola. Esta unidade, de tecnologia Italiana, retira sólido suspensos, areia e material graxo (óleos e gorduras) evitando desgaste de bombas e equipamentos por abrasão pelo atrito da areia, além de garantir melhor performance na digestão da matéria orgânica pelos microrganismos com a retirada do material graxo e sólidos suspensos. O Sistema de Tratamento Preliminar Compacto é dividido em 03 etapas: desarenação, remoção de materiais graxos e remoção de resíduos. Uma peneira rotativa remove os resíduos sólidos com tamanho igual ou superior a 3 mm, entre eles grãos, tampinhas de garrafas, estopa, etc. Depois, ocorre o processo de remoção de gordura e areia, feito por meio da adição de ar no sistema, onde ocorre a separação do material graxo e da areia por meio de diferencial de peso específico. Após esse processo, o efluente sofre o processo normal de tratamento.

Dentro da política de melhoria contínua empregada por seu Sistema de Gestão, a CMS adquiriu em 2014 um conjunto de gradeamento grosseiro, em substituição ao Cesto de entrada, porém com um espaçamento menor que retém material maior ou igual a 15 mm. O Objetivo deste sistema é remover de maneira mais limpa e eficiente os sólidos maiores como estopa, garrafas pet, animais entre outros que interferem no conjunto de recalque e prejudica o sistema de tratamento. Além de ser um processo mais eficiente, a limpeza é facilitada. Ela é feita automaticamente através de esteiras que removem o resíduo preso à grade e os direciona à caçambas por meio de roscas transportadoras, eliminando a limpeza manual.

Respeito ao Meio Ambiente

No processo de tratamento biológico, gera-se um resíduo orgânico denominado lodo de esgoto. Trata-se de um material composto basicamente pelo excesso de biomassa (células microbianas - biossólido) cultivada no processo de tratamento, rico em matérias orgânicas e nutrientes. Esse material, de potencial agronômico considerável, sofrendo tratamento prévio, pode ser reutilizado em culturas determinadas pelo Ministério da Agricultura, como Fertilizante Orgânico.

Dentro do plano de gerenciamento de resíduos, objetivando o aproveitamento do potencial agronômico deste resíduo e eliminar os riscos ambientais decorrentes da sua disposição em Aterros Sanitários, a CMS implantou um sistema de estabilização e higienização química, processo pelo qual o lodo é tratado com CaO (Óxido de Cálcio) em quantidades suficientes para elevar o pH da massa em no mínimo 12, num prazo de 2 horas, e mantê-lo acima de 11,5 por mais 24 horas. A rápida alteração no valor do pH da massa, pelo tempo pré-estabelecido, todo o material é higienizado e inertizado, eliminando os microrganismos causadores de doenças para os seres humanos e animais. Como complemento mineral, este material recebe a adição de calcário dolomítico, gerando um fertilizante orgânico composto, enriquecido com cálcio e magnésio, dois macro nutriente, importante para as plantas.

As características da bacia de esgotamento onde a ETE São Lourenço opera, considerando esgoto essencialmente doméstico, o composto orgânico obtido contém baixas concentrações de substâncias orgânicas e inorgânicas potencialmente tóxicas, como os metais pesados, permitindo o uso seguro como fertilizante agrícola.

Desta forma, o lodo de esgoto, devidamente tratado por este processo, adquire a característica de Fertilizante Orgânico Composto Classe D. O insumo agrícola foi registrado no Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) sob o n° SP-81164 10000-4, como produto de uso seguro na agricultura. A CMS denominou este produto como Ferticlean e pode ser fornecido para uso nas culturas de citros, eucaliptos, cana-de-açúcar, e café. A utilização do Ferticlean é vetada em hortaliças, pastagens, capineiras, raízes e tubérculos.

Projeto Nascente São Lourenço

A CMS coloca como uma das metas de gestão ambiental, a aproximação com a sociedade como forma de colaborar na redução de impactos negativos ao meio ambiente. Para isso, a empresa proporciona atividades pedagógicas, promovendo a conscientização da população, através da educação ambiental, levando o conhecimento para as escolas do município de Matão, com cartilhas educativas, eventos, palestras e diversas atividades de conscientização sobre a preservação do meio ambiente, focando fauna, flora, conceitos de coleta seletiva, a economia e o uso racional da água.

Este projeto, denominado Projeto Nascente São Lourenço, é complementado com as visitas técnicas que acontecem semanalmente na ETE, onde as crianças e jovens, são recebidos para conhecer todo o processo de tratamento, assistem a vídeos educativos e recebem cartilhas orientativas.

Capacidade Atual

Todo esgoto doméstico da cidade de Matão que chega à ETE São Lourenço, é tratado e lançado ao Rio São Lourenço com parâmetros de qualidade superiores aos legalmente exigidos, garantindo a biota da região (fauna, flora e espécimes de peixes antes em extinção no rio) e assegurando a saúde e o bem estar da população.

Importância da ETE

A CMS, uma das mais modernas empresas do segmento de saneamento básico, garante a máxima eficiência em seus serviços, gerando satisfação da população, consequentemente beneficiando a saúde pública e preservando o meio ambiente.

A importância do tratamento de esgoto é incontestável, pois elimina a principal fonte de poluição de corpos d´água no Brasil: lançamento indiscriminado de esgotos domésticos não tratados nos corpos d´água. A ETE São Lourenço coloca o município de Matão em um patamar acima da maioria dos municípios brasileiros quanto à questão de poluição pluvial.


A CMS – COMPANHIA MATONENSE DE SANEAMENTO E O PROJETO NASCENTE SÃO LOURENÇO JÁ ESTÃO PRESERVANDO MATÃO.

CMS, UMA EMPRESA DO GRUPO BRANCO PERES.

A história de sucesso da CMS – COMPANHIA MATONENSE DE SANEAMENTO, começou há quase 10 anos. A concepção da Estação de Tratamento de Esgoto se deu em 1998, quando da primeira gestão do prefeito Adauto Scardoelli onde foi criada a Companhia de Águas e Esgotos de Matão, a CAEMA. Além de acolhedora, agradável e desenvolvimentista, Matão conta ainda com uma dose substancial de sorte. Sorte porque conta com o trabalho e a colaboração de empresários, técnicos e gestores públicos que tem se empenhado ao longo de sua história em oferecer à cidade e à sua gente condições de qualidade de vida mais dignas.

As obras da estação foram iniciadas na gestão do ex-prefeito Jaime Gimenez, concluídas e entregues ao município em junho de 2005, já no segundo mandato do Prefeito Adauto Scardoelli, demonstrando que na questão prática desta parceria, Matão, mais uma vez está na vanguarda, e oferece ao seu povo uma obra que foi sonhada, planejada e executada com interesses suprapartidários, e destina-se exclusivamente a funcionar como mola propulsora no incremento da tão merecida melhoria do saneamento básico, do meio ambiente e das condições de vida dos cidadãos matonenses.

A CMS – COMPANHIA MATONENSE DE SANEAMENTO trabalha com uma equipe treinada para atender todas as etapas do processo de tratamento de esgoto e produção de fertilizantes. Composta por engenheiros, químicos, publicitários, administradores, técnicos e gestores organizacionais das mais diversas áreas, a ETE está dimensionada para atender toda a população de Matão até o ano de 2035, sem a necessidade de aumento em sua estrutura operacional para prevenção da poluição hídrica e gestão dos resíduos sólidos. Todos os colaboradores estão extremamente comprometidos em promover a melhoria contínua dos produtos, processos e serviços, visando a preservar o meio ambiente, em conformidade com a legislação ambiental.

A CMS, incumbida em preservar o meio ambiente, traz em sua essência as características necessárias para que o objetivo maior: A Conscientização Ambiental seja divulgada em larga escala. Para isso, faz de seu cotidiano de trabalho, o alicerce para a construção de uma cidade melhor, onde a natureza reina absoluta e o desenvolvimento urbano seja permanentemente sustentável.
A missão da empresa:
“A CMS tem como missão tratar 100% do esgoto que chega a sua unidade, atingindo uma eficiência mínima de 95%, garantindo assim a preservação da vida aquática e trazendo de volta a água límpida e as diversas espécies de peixes, que sempre viveram no rio.”
Visão:
"Ser uma das empresas mais eficientes na área de Saneamento, gerando alto nível de satisfação perante sua comunidade, em concordância com as normas e legislação vigente, visando à preservação e o desenvolvimento do meio ambiente e conscientização da comunidade".
Valores da empresa:
  • > Comprometimento
  • > Ética
  • > Transparência
  • > Respeito
  • > Responsabilidade Social

A importância da CMS em Matão já pode ser vista nas redondezas, com rios povoados com muitos peixes, cágados e com a presença de garças que antes evitavam o local por falta de alimento e hoje encontram uma condição bem diferenciada.

Veja as fotos de como era e como ficou o Rio São Lourenço.

Em outubro de 2004, apenas alguns meses após a CMS - Companhia Matonense de Saneamento entrar na fase final da construção da ETE – Estação de Tratamento de Esgoto, foi divulgada em Matão e região uma campanha publicitária institucional com o tema “O Esgoto Mata”.

Certificações

  • ISO 9001:2008 - certificação obtida pela primeira vez em 2009; renovada em 2012, pela Fundação Vanzolini.
  • ISO 14001: 2004 – certificação obtida pela primeira vez em 2012, também pela Fundação Vanzolini.

NBR ISO

O impacto da globalização no início dos anos 90 fez com que as empresas se preocupassem com a implantação de uma gestão de forma sistemática e transparente para se tornarem organizações de sucesso.

A CMS é uma empresa voltada para o crescimento e o desenvolvimento de novas tecnologias no setor de saneamento, buscando sempre os mais altos padrões de eficiência e qualidade de serviços. Decidiu viabilizar esta ideia, iniciando os trabalhos em fevereiro de 2007, recebendo a certificação da ISO 9001 em Junho de 2009.

A ISO é a International Organization for Standardization (Organização Internacional para Padronização) ssediada em Genebra na Suíça é uma federação mundial de órgãos nacionais de normas em 120 países, um em cada país. O representante da ISO no Brasil é a ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas).

As normas da ISO estabelecem diretrizes para uma organização planejar, implementar, verificar e tomar ações necessárias que garantam a excelência na qualidade de seus produtos e/ou serviços.

A CMS, mantém a certificação da ISO 9001:2008 e a utiliza como a principal ferramenta na busca da excelência na qualidade da prestação do serviço de tratamento de esgoto do Município de Matão, envolvendo todos os colaboradores na obtenção das metas e objetivos propostos pela Alta Administração. A contínua melhoria em todo o sistema é conseguida através da análise crítica e discussões dos resultados obtidos em reunião com a diretoria.

Com esta conduta, a empresa tem demonstrado o respeito às legislações vigentes, as exigências do poder concedente e as normas internas com profissionalismo e transparência, assegurada pela gestão da qualidade, através da certificação NBR ISO 9001:2008 desde 2009.

Os diretores da CMS, atentos às questões ambientais, lança, em meados de 2011, o desafio aos seus colaboradores, para a obtenção da certificação ISO 14001:2004.

Esta norma é internacionalmente aceita e define os requisitos para estabelecer e operar um Sistema de Gestão Ambiental. A norma reconhece que organizações podem estar preocupadas tanto com a sua lucratividade quanto com a gestão de impactos ambientais. A ISO 14001 integra estes dois motivos e provê uma metodologia altamente amigável para conseguir um Sistema de Gestão Ambiental efetivo. Na prática, o que a norma oferece é a gestão de uso e disposição de recursos, controla custos, reduz os riscos a acidentes pessoais e ambientais e melhora o desempenho, sem agredir ou reduzindo ao máximo o impacto negativo que um determinado processo possa oferecer ao meio ambiente.

A empresa assume então, um compromisso maior com o Meio Ambiente implantando o SGI – Sistema de Gestão Integrado – priorizando destinos nobres aos seus resíduos sólidos.

A Organização inicia seus trabalhos, definindo sua política e objetivos:

 

Política da Qualidade e Meio Ambiente

“A CMS objetiva a satisfação de seus clientes, fornecedores e colaboradores, tendo como referência, além dos requisitos das normas NBR ISSO 9001:2008 e NBR 14001:2004, exigências do poder concedente aplicáveis aos serviços de concessão para tratamento e destinação final do esgoto sanitário, além das normativas legais e outras subscritas pela organização, necessárias para a promoção da melhoria contínua do seu Sistema de Gestão Integrado”.

Principais objetivos

  1. Eliminar ou reduzir impactos ambientais, destinando de forma nobre os resíduos sólidos gerados no tratamento de esgoto (lodo);
  2. Reduzir o consumo energético na operação de tratamento de esgoto;
  3. Aumentar a satisfação dos clientes através da redução de poluição;
  4. Utilizar a Tecnologia da Informação (TI) para a Gestão dos Processos da empresa, objetivando agilizar tomadas de decisões em serviços e novos investimentos bem como preservação de recursos naturais;

A experiência da CMS, auditada e certificada pela ISO 14001 em 28 de Junho de 2012, vem beneficiar a empresa e consolidar seus ideais de que o SGI – Sistema de Gestão Integrado - trata de práticas de negócios simples e sólidos, que trazem benefícios corporativos pela melhoria de relacionamentos através do uso responsável de materiais e práticas ambientalmente sensíveis, sempre que possível.